Capítulo IV: A Fórmula de ALHIM e ALIM

Alhim (אלהים ‒ Elohim) é a palavra exotérica para “Deuses”. É o masculino plural de um substantivo feminino, mas sua natureza é principalmente feminina. É um perfeito hieróglifo do número 5. Isto deveria ser estudado em “Uma Nota sobre o Gênesis”.

Os elementos estão todos representados, como um Tetragrammaton, mas não há desenvolvimento de um para outro. Eles estão, por assim dizer, misturados – indisciplinados, simpatizando uns com os outros apenas em virtude de sua energia selvagem e tempestuosa, mas elasticamente sem resistência. A letra central é He (ה) – a letra do alento – e representa o Espírito. A primeira letra, Aleph (א), é a letra natural do Ar, o Mem final (ם) é a letra natural da Água. Juntos, Aleph e Mem fazem AM (אם) – a Mãe dentro de cujo útero o Cosmo é concebido. Mas Yod (י) não é a letra natural do Fogo. Sua justaposição com He (ה) santifica aquele Fogo ao Yod (י) de Tetragrammaton. Similarmente, nós vemos Lamed (ל) correspondendo a Terra, onde deveríamos esperar Tau – a fim de dar ênfase à influência de Vênus, que rege Libra.

Alhim, portanto, representa melhor uma Fórmula de consagração que uma cerimônia completa. É o alento da bendição; mas tão potente que pode dar vida ao barro e luz à escuridão.

Usada no consagrar de uma arma, Aleph (א) é a força devastadora do raio, o relâmpago que flameja do oriente ao ocidente. É a concessão do poder de controlar o raio de Zeus ou Indra, o Deus do Ar. Lamed (ל) é o Flagelo, a força que impele; e é também a Balança, representando o Amor e a Vontade do Magista. É o cuidado carinhoso que ele outorga ao aperfeiçoamento de seus instrumentos e o equilíbrio daquela ardente força que indica a cerimônia.

Yod (י) é a energia criadora – o poder procriador; e, no entanto, Yod (י) é a solidão e o silêncio do Eremita na qual o Magista se encerrou. Mem (מ) é a letra da Água, e é o Mem final (ם), cujas longas linhas planas sugerem o Mar quieto: ם; não o Mem comum (inicial e mundial) cujo hieróglifo é uma onda מ. E no centro de tudo paira o Espírito, que combina a meiguice do cordeiro com os Chifres do Carneiro Selvagem, e é a letra de Baco ou Cristo.

Quando o Magista acaba de criar seu instrumento e o equilibra de verdade, enchendo-o com raios de sua Vontade, então a arma é posta aparte para descansar; e neste silêncio, há uma verdadeira consagração.

A Fórmula de ALIM

É extremamente interessante comparar com o acima a Fórmula dos Deuses elementais desprovidos do espírito criador. Poder-se-ia supor que, como Alim (אלים) é o masculino plural do substantivo masculino Al (אל), sua Fórmula seria mais viril que a de Alhim (אלהים), que é o masculino plural do substantivo feminino Alh (אלה). Um momento de pesquisa é suficiente para dissipar a ilusão. A palavra “masculino” não tem significado a não ser em relação a algum correlativo feminino.

A palavra Alim, de fato, pode ser considerada como neutra. Por uma convenção decididamente absurda, objetos neutros são tratados como se fossem femininos, devido à sua superficial semelhança em passividade e inércia com a fêmea ainda não fertilizada. Mas a fêmea produz vida pela intervenção do macho, enquanto o neutro somente o faz quando impregnado pelo Espírito. Assim nós vemos o feminino Ama se tornar Aima através da operação do Yod (י) fálico enquanto Alim, o congresso dos elementos mortos, apenas dá fruto através da presença do Espírito.

Isto sendo assim, como podemos descrever Alim contendo uma Fórmula Mágica? Investigação desvela o fato que esta Fórmula é de tipo muito especial.

A soma da palavra 81, que é o número da lua. Resulta ser a Fórmula da bruxaria, que está sob Hécate. É apenas a perversão romântica da ciência na época medieval que criou a tradição de que mulheres jovens são bruxas. A bruxaria propriamente dita está restrita a mulheres que já não são mulheres no senso Mágico da palavra, porque não são mais capazes de corresponder à fórmula do macho; e, portanto, são entes neutros, ao invés de femininos. É por este motivo que o método delas tem sempre sido mencionado como o método da lua, no senso do termo em que o globo lunar é considerado não como a contraparte feminina do sol, mas como o satélite apagado da terra, morto, sem ar.

Nenhuma verdadeira operação Mágica pode ser executada pela Fórmula de Alim. Todas as obras da bruxaria são ilusórias; e seus efeitos aparentes dependem da noção de que é possível mudar as coisas pelo aparente mero rearranjo delas. Não devemos depender da falsa analogia dos Xylenes para refutar este argumento. O fato que os isômeros geométricos agem de diferentes formas para com as substâncias com as quais eles são postos em relação. E está claro que algumas vezes é necessário rearranjar os elementos de uma molécula antes que ela possa formar, quer o elemento masculino, quer o feminino em uma verdadeira combinação Mágica com alguma outra molécula.

Portanto é ocasionalmente inevitável que um Magista tenha que reorganizar a estrutura de certos elementos antes de poder iniciar a sua operação propriamente dita. Se bem que tal trabalho é tecnicamente bruxaria, não deve ser considerado indesejável por este único motivo, pois todas as operações que não transmutam matéria caem, estritamente falando, sob esta classificação.

A verdadeira objeção a esta Fórmula não é inerente em sua própria natureza. Bruxaria consiste em tratá-la como a única preocupação com a Magick, e especialmente em negar ao Espírito Santo o direito de entrar no seu Templo.

Anterior | Topo | Índice | Próximo

Livro 4, Parte 1 · Livro 4, Parte 2 · Magick em Teoria e Prática (Livro 4, Parte 3) · O Equinócio dos Deuses (Livro 4, Parte 4)

Magick – Liber ABA – Livro 4


Thelema

Se você achou esse material útil ou esclarecedor, você também pode se interessar por:

Trademark

Ordo Templi Orientis, O.T.O., e o design do lámen da O.T.O. são marcas registradas da Ordo Templi Orientis.

Copyright

Todos os direitos autorais sobre os materiais de Aleister Crowley são detidos pela Ordo Templi Orientis. Este site não é um website oficial da O.T.O., nem é patrocinado ou controlado pela Ordo Templi Orientis.

O texto deste material de Aleister Crowley só foi disponibilizado aqui para uso pessoal e não-comercial. Este material foi disponibilizado aqui de uma maneira conveniente e pesquisável como um recurso de estudo para os aspirantes procurando por ele em sua pesquisa. Para qualquer uso comercial, por favor contate a Ordo Templi Orientis.

  • Esta página foi modificada pela última vez em: 2017/08/11 14:09
  • por John Bell